Cineminha da semana: O Homem de Aço

Super Man é o único herói verdadeiro. Vou tentar explicar. Todos os outros, como o Homem Aranha e o Batman, são humanos que em algum momento da vida sentiram necessidade de salvar o mundo (o Homem Aranha sofre uma mutação e o Batman sofre uma perda), mas Clark Kent já nasceu em outro planeta e vem para Terra encontrar seu verdadeiro propósito: levar esperança a humanidade.

Aliás, é este o significado do seu brasão no peito. O holograma S, em Krypton, quer dizer esperança. E foi por isso, que Jor-El e Lara abrem mão do seu único filho quando os recursos do seu planeta chegam ao fim levando a sua destruição completa e de todos que ali vivem.

Depois de 33 anos, Zor (o vilão) encontra Kal-El (nosso Super Man) e travam uma luta infinita. Esta é exatamente a parte que eu não gosto. Tudo bem pela ficção científica irreal, tudo bem pela mocinha passar por altas aventuras e não ter nenhum arranhãozinho para contar história, tudo bem pelo Clark Kent começar barbudo e terminar gato e garoto propaganda da Gilette, mas quando dois alienígenas, com iguais poderes, estão em uma luta que parece não ter fim, eu gosto de saber como isso vai acabar (e não é quebrando o pescoço do inimigo com as mãos).

Nota: 8 Porque ir ao cinema numa terça-feira foge ao protocolo e é tudo de bom.

ImageImage

Advertisements

50 fatos sobre mim

FATO 12:

Quase fiquei surda a primeira e única vez que fiz um curso de mergulho.

Quando sai do mar, ouvi uma música da Ivete e pensei que fosse um homem cantando. Fiquei apavorada. Foram 2 semanas de tratamento para eu voltar a escutar.

Image

 

Provando: Riachuelo

Sexta depois do serviço, o nego me liga dizendo que é para eu cuidar da minha vida porque ele só vai estar liberado do restaurante umas 3h30 da madruga. Cuidar da vida normalmente quer dizer: vá dar uma volta no shopping, fazer algo que goste, não precisa ficar me esperando. E foi o que fiz.

Mesmo cansada (sem make e os olhos avermelhados, como vocês podem ver) dei um pulo no Shopping Vila Olimpia e não resisti quando vi uma blusinha de frio com a estampa do Pequeno Príncipe. Primeiro) Porque Pequeno Príncipe me lembra as duas pessoas que mais amo neste mundo: Carol e meu padrinho Naninho. Segundo) Porque a Riachuelo estava tão quentinha, em comparação aos 5 graus que faziam lá fora, que mesmo eu odiando a loja fui provar para vocês.

Vou tentar me explicar melhor. A Riachuelo de Uberlândia é o máximo. Uma loja grande com roupas super modernas. A Riachuelo de Goiânia também é bacana. Dá pra garimpar tendências por lá. Agora a de Sampa, é péssima. Só tem roupas senhoris e também não curto a qualidade dos tecidos. Mas deixei meu preconceito de lado e consegui montar 5 looks inspiração. Espero que gostem.

ImageImageImageImageImage

ImageImageImageImageO essencial é invisível aos olhos.
Image

50 fatos sobre mim

FATO 11:

Eu prefiro dormir do que comer. Mesmo meu marido sendo o melhor chef de cozinha do universo, eu preciso dormir meia noite e acordar às 8h. Se passo da hora, mesmo que esteja em um bar me divertindo, começo a “mesengar” como se estivesse trêbada e meus olhos se fecham sem minha autorização. Durmo também na hora do almoço, pelo menos meia horinha, e tem que ser com o quarto fechado, na completa escuridão, sem o menor barulho.

Image

 

Livro do mês: A Culpa é das Estrelas

“Brilha, brilha estrelinha. Que bonita você é”…

A Culpa é das Estrelas, escrita por John Green, conta a história de uma paciente terminal que não se socializa, tem uma mãe que vive em função dela e sabe que uns dos benefícios do câncer (se é que podemos falar isso) é conseguir que a dó que os outros tem de você o isente de ser sempre legal com as pessoas e com si mesmo.

De repente o amor surge, em forma de um primeiro namorado, um cara atlético de olhos azuis que apesar de usar uma prótese no lugar da perna tem 80% de vida. E quer viver essa vida de forma triunfante para deixar uma marca no mundo, ser lembrado, sobreviver à morte.

Hazel e Gus então se descobrem e vivem um infinito particular, mesmo sabendo que a marca que a maioria das pessoas deixa no mundo são cicatrizes. E me fazem viajar por Amsterdã, em cada cantinho que já conheci, montada na garupa de uma bicicleta retrô e brindando com champagne (que eles chamam de estrelas borbulhantes) a vida. Mesmo que quebrante e sem ar.

A Taís e a Dri que me deram este livro, choraram muito ao ler. Talvez porque ninguém sabe dar adeus a entes queridos quando eles se vão antes do tempo que julgamos certos. Talvez porque a morte é mais do que uma palavra, e muito forte para conseguirmos conviver com ela. Eu não chorei. Não quero pensar em ter que me despedir de ninguém. Já acho que em vida a gente perde muito tempo esperando chegar o final de semana para sair de casa, esperando que a noite chegue para poder descansar, esperando que o final de ano chegue para reunir a família, esperando por nada ou em vão encontrar algum sentido para darmos o nome de felicidade (ou amor, como queiram) e nos esquecemos de amar de fato, desejar bom dia a quem está do nosso lado, dizer eu te amo antes de dormir como se não fosse uma palavra frágil que desaparecesse como um sonho, parar para observar ao invéz de ficar ansioso para fazer. Enfim, perdendo muito tempo querendo transformar algo que já é lindo por si só.

Engraçado como tentei achar no google uma imagem da Hazel e do Gus sob a luz dourada do sol. Só então me dei conta que são personagens, não existem. Embora eles tenham conseguido deixar a sua marca no mundo, pelo menos para mim.

Nota 1 milhão. E um agradecimento especial a Tatá por acender as minhas noites. Não só com uma bela história mas por fazer a minha história de vida belíssima (SUA AMIZADE é meu maior presente).

Image

Que tal um chocolate quente?

Hoje vou ensinar para vocês uma receitinha rápida e maravilhosa para este friozinho. Antes que nosso nariz e mãozinhas congelem, um chocolate quente para esquentar o coração.

Você vai precisar de: 

  • 1 xícara de leite bem gelado
  • 2 colheres de chocolate em pó
  • 2 colheres de açúcar
  • 2 colheres de creme de leite sem soro
  • 1 pau de canela

Em um liquidificador ou um mixer, bata o leite com o chocolate em pó e o açúcar. Despeje em uma panela com a canela e leve ao fogo baixo, mexendo até ferver. Desligue, adicione o creme de leite e mexa bem até ficar homogêneo. Retire a canela e sirva.

Image