O Efeito Pitaya

Quando os amigos vem a São Paulo não pode faltar o passeio no Mercadão. Além dos famosos sanduíches de mortadela e os bolinhos de bacalhau, eu sempre insisto para provarem o pastel de camarão com queijo da Hocca. Uma delícia!

Mas dessa vez eu quero falar sobre as barraquinhas de frutas que enchem os olhos de cores e são super saborosas. Os feirantes ficam oferecendo pedaços de frutas que você nunca ouviu falar: laranja misturada com tangerina, pêra misturada com goiaba, Dekopon, tão docinha que mais parece leite condensado, e a Pitaya Amarela (nosso assunto pelos próximos 5 dias).

Quando o Hugo resolveu levar 4 frutinhas só para agradar o feirante e viu que daria 75 reais, quase caiu para trás. Fruta no Brasil não pode ser tão cara! Então, para não ficar tão constrangido, escolheu aquela que mais agradou seu paladar. Uma fruta por 23 reais? Misericórdia. Só quando chegamos em casa fomos reparar que o kilo custa R$ 99,90. Esta fruta é de ouro?

Por isso, fui pesquisar um pouco mais para vocês sobre os benefícios de uma PITAYA.

Esta fruta do dragão é rica em fibras e minerais, principalmente em zinco.

Possui antioxidantes que previnem os radicais livres.

Diminui o colesterol e pressão sanguínea.

É uma fonte de fibras que pode substituir o arroz para os diabéticos.

Reduz as doenças do sistema respiratório.

Deixa qualquer um muito pobre, se consumida regularmente.

Depois deste dia, o Hugo e a Rafa patentearam o Efeito Pitaya, que é quando você acaba comprando uma coisa muito cara com vergonha de dizer não ao vendedor.

ImageImageImageImageImageImageImageImageImageImage

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s