NY baby

Detesto decepcionar meu próprio sonho. Não entendam mal: a viagem foi maravilhosa. Os arianos não empinaram a caroça. A família estava super unida. Minha dúvida é se graças ao frio ou apesar de. 

Eu sou deslumbrada por esta temperatura dos países que se dizem desenvolvidos, mas desta vez não consegui me sentir chique ou glamourosa. As sobreposições das 6 roupas, uma em cima da outra, me transformaram em um verdadeiro pinguim e tenho que confessar que as fotos ficam mais iluminadas ao sol (-14 graus nunca mais).

Os 14 dias se intercalaram em acordar às 9h, tomar banho, comer omelete, esperar os outros 5 fazerem o mesmo e sair de casa por volta do meio dia. Pegar o metrô 2 ou 3 da estação 110 em frente ao Central Park, depois de andar 4 quarteirões e meio e testar o quanto a mão estava congelada no dia. Parar na 42 Times Square e terminar na 34, onde se concentram todas as lojinhas de 10 dólares.

Não subi no Empire State, não patinei na neve, mas conheci a Estátua da Liberdade, atravessei a ponte de Brooklin e fui em um espetáculo da Broadway. Não visitei o Imagine dos Beatles, não conheci a cafeteria do Friends, não tirei foto na fachada da casa da das meninas do Sex and the city, mas fui ao NY inc, fiz um tour pela Madison Square e provei uma tortinha do Cake Boss.

Fiquei impressionada com a sujeira das ruas. Sacos e sacos de lixos amontados ou jogados a cada boeiro. Pessoal mal educadas atravessando a rua com o sinal fechado e tratando mal os turistas, principalmente brasileiros. Carros em filas dupla e motoristas que não perdem a oportunidade de fincar a mão na buzina. Transporte público que não chega na hora e metrôs fedorentos. E a gente falando mal do Brasil. Pedindo bença para converter nossas 2,60 dilmas no tão aclamado dólar e gastar malas de dinheiro com bandeiras vermelha e azul.

O que mais gostei em NY? Do apartamento que ficamos. Sétimo andar. Sétima avenida. Harlem. Tinha um quarto só meu, um edredom quentinho, secador de cabelo, guarda chuva, shampoo, cabides de veludo, toalhas, chinelo, barras de cereal, chás, tudo à disposição. Parecia um hotel onde meu marido fazia as vezes de cozinheiro e carregador de bagagens, nos isentando dos 20%. 

Uma saidinha na rua para almoçar, que variava entre pizza, sanduiche e macarrão com almôndegas não saia menos que 125 doletas. Uma média de 18 por pessoa (50 reais), fora a bebida. 

Bom, quero deixar claro que não estou reclamando. Se alguém precisar de um cicerone que fale inglês, sabe andar de metrô e visitar os pontos turísticos, pode me convidar no verão.

Amei rever o meu irmão. Tenho que dizer que ele é ótimo em tudo, agradecer pela paciência de ouro e dizer que ano que vem estaremos juntos novamente, aonde quer que for.

Ah, a Macys, Century 21. Target, que todo mundo indica, são bregas e não estão com nada. Bom mesmo é o Outlet de New Jersey.

 

Advertisements

One thought on “NY baby

  1. OIá Ellen.
    Não estivemos na mesma cidade. Pode perguntar pro seu afilhado. Estivemos numa gelada( -16º C durante o dia) mas super agradável cidade.Aproveitamos bem todos os passeios, encontramos muita gente solícita a nos dar informações, e gente desagradável também. Normal pra uma cidade grande.O Henrique todo descolado que é, batia papo com guardas, vigias, gente esperando metrô. Seu afilhado, é uma ótima companhia pra viagens, considerou NYC,o melhor lugar do mundo( apesar que o Re considera Vancouver e eu fico com Amsterdam ou talvez Paris, quem sabe Key West, kkkkk)….Comemos em vários lugares de todos os preços- como acontece aqui em Bsb, pagamos o preço pela localização( restaurantes do Harlem bem mais baratos que da Time Square. Andamos de bondinho de graça, passando por cima do rio Hudson e conhecemos a lindinha ilha Roosevelt…usamos nossos passes do metrô até o final. Alugamos um carro por 69 dólares e fizemos uma pequena viagem até o Central Valle…Paisagens fantásticas com cachoeiras congeladas…. Compramos no Woodburry camisetas de marca por 2 dólares, casacos por 6, óculos por 10 e muito mais…No Jersey Gardens compramos menos coisas. Não usamos montes de roupas, mas usamos casacos térmicos, calças térmicas, botas de borracha( não ia suportar se não fosse assim). Usava hand warmer nas mãos que me mantinham bem aquecida na rua.A vista do Empire State é deslumbrante. Vale muito a pena…
    Fizemos outra viagem. Uma aventura gelada maravilhosa,Valeu cada dilma convertido em obama!!!
    Estávamos iluminados por dentro. Nem o atraso de um dia apagou nosso brilho.Aproveitamos o luxo do hotel de Bogotá.
    Seu afilhado ficou tão feliz que nos prometeu que na próxima ele irá pagar pra nós…rsrsrs..Vou cobrar!!!Bjs

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s