Quando a saudade incomoda

Um dia todo mundo vai embora. E quando vai, deixa um rastro no ar: de perfume, intenções, sentimentos.

Quando vai, você pode até não notar no primeiro momento, mas logo começará a trombar na sua cadeira vazia. Um roxo vai marcar a sua coxa e aquela dorzinha chata vai incomodar quando estiver deitado no sofá assistindo uma novela qualquer.

Ela não está mais ali. E para você cabe apenas confessar: não imaginava, mas ela já está fazendo falta. Aquela pessoa que fez alegria, fez festa, fez amigos, fez suas vontades mesmo que nunca tenha pedido, agora faz falta.

Por mais que queiram te convencer que todo profissional é substituível, não precisa ser tão esperto assim para saber que o profissional é, mas a pessoa, nunca.

Será apenas mais um rosto apagado na foto. A foto que logo será esquecida no fundo da gaveta embolada às roupas que já não servem mais. A foto que o cachorro vai comer ou seu filho vai rabiscar.

Afinal, um dia todo mundo vai embora.

Já nos acostumamos com o fato de que não podemos alterar o destino. Já nos consolamos com a desculpa de que todo empurrão serve para nos levar pra frente.

E a vida vai passando, dia após dia, tendo você barriga para empurrar ou acorde mais cedo para malhar seu tanquinho na academia. A vida vai passando e as pessoas passando por ela.

Estabelecemos algum vínculo com quem se aproxima. Mas ninguém mais se deixa enganar: tudo não passa de conveniência.

Apesar de o ser humano gostar de se deixar enganar. Se entregar de corpo e coração pela simples necessidade de ter alguém para ouví-lo. Quem vê de fora, sabe que ali não reside alma. Os novos amigos não serão tão novos amanhã, muito menos lhe abrirão a porta e farão a cama (aqui em São Paulo não se convida para dormir em casa).

Eu sinto saudade de tanta coisa, sinto saudade de tanta gente. Mas elas são obrigadas a se despedirem cada dia de uma pessoa. Mas elas tem tanta gente para sentir falta, tantas cadeiras para esbarrar pelo caminho, tantos roxos nas pernas, que talvez nem tenham tempo de se lembrarem de mim.

Mesmo sabendo de tudo isso e entendendo como funciona, coloco um pouco de óleo de cozinha nas engrenagens. Já experimentou? Pelo menos, ao abrir e fechar, não faz ruídos.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s